Tragedia de Santa Maria

Publicado: janeiro 31, 2013 em Segurança do Trabalho
Tags:,

Este post é um e-mail de um amigo Engenheiro de Segurança e atualmente aluno do Curso de Medicina. Trabalhamos juntos e as suas considerações são sempre muito interessantes e resolvi compartilhar com todos.

Eustáquio, acompanho seu site e tenho certeza que muitos profissionais também o fazem.

 
Pensando sobre a tragédia de Santa Maria e outras que já aconteceram, gostaria de citar um ponto importante sobre este assunto que no final determina a conduta das casas de shows em geral:
 
O simples fato de você cobrar o pagamento da conta no ato da saída, na minha opinião é um ponto principal para a gravidade dos acidentes pela cadeia de eventos que este procedimento inicia.
 
  1. O controle da saída é rígido, pois sair sem pagar acarreta umm prejuízo enorme ao estabelecimento;
  2. Por isso é muito melhor ter só uma saída, pois, só se usa uma equipe de controle;
  3. Os seguranças são instruídos para não deixarem passar ninguém sem a comanda paga, pode gritar que eles nem se importam;
  4. As casas são verdadeiros cofres (o valor de uma dose de bebida chega a ter 1000% de lucro), com uma só entrada e uma só saída, nem a cozinha tem saída separada, para não ter roubo;
  5. A adoção de várias saídas, conforme a legislação e o bom senso, seria um prejuízo gigante aos empreários;
Aí você pergunta, então qual o motivo de não cobrar por cada bebida consumida ou ter um cartão com créditos que vão acabando com sua utilização? Muitos alegam que isto inibe o consumo e eles não querem este tipo de consumidor, tipo pré-pago.
 
Mas na minha opinião, uma lei que obrigue o pagamento antes do consumo, com cartões pré-pagos ou algo similar, iria mudar a segurança destes estabelecimentos, o controle seria somente da entrada, com muitas portas de saída, sem controle de saída.
 
Nesta semana passou uma reportagem da Casa de Shows Galopeira em Belo Horizonte e estes depois do acidente em 2001, adotaram a cobrança por cartão pré-pago, sem exigir a comanda na saída. Ponto para eles.
 
Entendo que várias regras foram quebradas no acidente de Santa Maria, como sabemos da engenharia de segurança, um acidente é o resultado de uma cadeia de eventos e seria muito ingênuo achar somente 1 responsável por este acidente.
 
Alessandro Pujatti
Engenheiro Segurança do Trabalho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s